Álbuns de 2016

Álbuns de 2016

2016 teve muito para escutar e escutar tudo é cada vez mais impossível. Restam por isso os álbuns que nos recomendam, aqueles em que tropeçamos, aqueles que escutamos na rádio, aqueles que nos aparecem nalguma mailing list sombria e underground, aqueles que descobrimos ao escutar a banda num concerto ou aqueles que decimos ir escutar só porque sim e adorámos (estes sabem realmente bem). A lista que se segue é o reflexo de um ano a escutar música, com estados de espírito diferentes em diferentes alturas. É pessoal e não aspira a nada mais do que partilhar os discos que mais prazer me deram ouvir durante 2016.

Se PJ Harvey nos mostrou (mais uma vez!) que é uma mulher ímpar no mundo da música, Nick Cave conseguiu colocar-nos a olhar a morte de frente e a dar, como nunca, valor à vida. Se Mitski nos aponta um futuro risonho, Neko Case, KD Lang e Laura Veirs mostraram-nos que a idade e a experência são um posto. Os Radiohead vão continuar a agradar a meio mundo e a frustrar a outra metade. É assim, não há volta a dar. Cass McCombs continua a surpreender álbum após álbum, como um exímio compositor de Canções (é de propósito). A Angel Olsen corouo-se a si própria porque “My Woman” assim o exige. Do outro lado da fronteira, a catalã Joana Serrat mostrou a universalidade do folk. E o que dizer de Portugal… Noiserv deixou-me sem palavras, os Marvel Lima obrigaram-me a dançar e os Memória de Peixe a abanar a cabeça. Old Jerusalem trouxe ao de cima o melancólico que reside em mim e MEDEIROS/LUCAS deixaram-me de peito cheio.

Podem encontrar a lista completa aqui.