Julien Baker – Rejoice

Julien Baker - Rejoice

Há canções que para serem escritas é necessária uma coragem imensa. Porque são pessoais. Sobre algo que nos aconteceu ou a alguém próximo. Sobre perda. Sobre a morte. Sobre um momento só nosso. Sobre algo não falaríamos com qualquer um. Sobre cicatrizes que transportamos connosco durante toda a vida e quem sabe se para além dela também…

«Rejoice» da Julien Baker é uma dessas.

Fala sobre a sua relação com Deus e dos amigos que perdeu (drogas, suicídio), de uma (aparente) tentativa de suicídio.

Arranca num misto de lamento e de revolta…

All of my friends live in a plastic bag walking around
Jumping the train tracks, over the fence, veins all black
Sleep on a bench in the park on my birthday
Call the blue lights
Cursed your name when I find I’m still awake

E em momento algum nos deixa esquecer que por vezes tudo é uma merda e parece impossível de dar a volta…

Give me everything good, and I’ll throw it away
I wish that I could quit but I can’t stand the shakes
Choking to smoke, or singing your praise

Mas o tempo, se nós quisermos e deixarmos, por vezes, tem o poder de nos curar e de nos moldar; de nos mostrar outros caminhos e de aceitar outras perspectivas e de nos ajudar a encontrar o nosso equilíbrio, seja pela via da fé (como é aqui o caso) ou qualquer outra…

But I think there’s a god and he hears either way when I rejoice and complain
Lift my voice that I was made
And somebody’s listening at night with the ghosts of my friends when I pray
Asking “Why did you let them leave and then make me stay?”
Know my name and all of my hideous mistakes
But I rejoice. I rejoice. I rejoice. I rejoice

Deus é omnipresente ao longo de toda a canção, uma necessidade para Baker, mas isso para mim nem é a maior demonstração de fé e crença que a canção encerra em si. Essa demonstração acontece na forma como Julien Baker a interpreta, em especial quando canta os versos finais com um entrega e um crer que são palpáveis e arrepiam, com o ponto alto a surgir cada vez a sua voz pronuncia “rejoice”.